Artigos, Youtube

Como fazer uma justificativa? NÃO SE JUSTIFIQUE!

Sending
User Review
0 (0 votes)

O momento mais libertador da minha vida foi quando eu descobri que não precisava me justificar, muito pelo contrário, isso me prejudicava.

Ao longo desse artigo eu vou te explicar porque você não deve se justificar e o que você deve fazer quando se sentir na obrigação de fazê-lo.

Porque nos Justificamos

Você já parou para pensar no porque você se justifica?

A gente vive tão no automático, que normalmente não paramos para nos questionar coisas como esta.

Porém se você parar um pouco para pensar, vai perceber que é um comportamento cheio de carga negativa e que não te leva a nenhum resultado prático para a sua vida.

Eu tenho algumas hipóteses explicar a nossa mania de nos justificar.

Primeira hipótese

Quando fracassamos nos sentimos mal e buscamos colocar a culpa em algum fator, fora do nosso controle, para nos sentirmos melhor.

Ninguém gosta de assumir a CULPA por nada. Afinal a culpa não é um sentimento que crie nada de bom para a nossa vida.

Mas o que não percebemos é que podemos sim nos responsabilizar, sem sentir culpa.

Imagine a libertação que é dizer a verdade para as pessoas, sem o peso da culpa.

Isso é libertador, posso garantir.

Segunda hipótese

Questões culturais.

Não sei quanto a você, mas eu fui ensinado a responder quando alguém me questionasse algo.

Desde criança fui ensinado que eu tinha que dar uma resposta, mesmo quando eu não queria “me justificar”.

Isso criou em mim um senso de obrigação por dar explicações para tudo.

E quando não temos uma explicação plausível para o que acontece, geralmente buscamos “desculpas”, fatores alheios à nossa vontade, para explicar o que não conseguimos explicar.

A maioria das nossas decisões são emocionais e não encontram respaldo na lógica da nossa mente.

Então, quando somos questionados a respeito de algo que fizemos por motivos emocionais, que nem nós mesmos sabemos ao certo quais são, geralmente buscamos respostas fora de nós mesmos.

O problema da justificativa

Uma justificativa normalmente serve para aplacar a necessidade de explicação de alguém a respeito do que fizemos ou deixamos de fazer.

Quando não sabemos exatamente porque fizemos ou deixamos de fazer algo, por ter sido uma decisão emocional, acabamos culpando algo fora de nós.

Afinal temos a “obrigação” de dar uma justificativa, não é mesmo?

SÓ QUE NÃO! E ao longo desse artigo você vai entender como se libertar dessa “obrigação”.

Ao criarmos o hábito de buscar respostas fora de nós para justificar nossas falhas, passamos uma mensagem muito negativa para nossa mente subconsciente.

A mensagem de que há fatores externos, alheios à nossa vontade, que comandam a nossa vida e os nossos resultados.

Falando de uma forma mais pesada, ao nos justificar com fatores externos, nos colocamos na posição de vítimas das circunstâncias, alheias à nossa vontade.

Como se libertar da necessidade de se justificar

Eu creio que nesse momento você já esteja com vontade de se libertar da necessidade de se justificar.

Não conseguiria me aprofundar muito no assunto aqui, por se tratar de um tema extenso, mas posso te dar uma boa dica para você começar a fazer isso por conta própria.

Eu mesmo, comecei dessa forma, antes de me aprofundar no estudo sobre o funcionamento da mente e obtive ótimos resultados.

O primeiro passo para se libertar dessa necessidade é entender que ela não é uma necessidade.

Entender que isso é uma questão cultural, emocional, que não tem nenhuma aplicação prática, positiva para a sua vida.

O segundo passo é decidir se libertar dessa necessidade.

É fundamental que além de entender que esse é um hábito nocivo, você tenha a disposição de fazer o que for necessário para se libertar dele.

O terceiro passo é começar a se RESPONSABILIZAR ao invés de se justificar.

Responsabilização

Essa é a chave para se libertar do hábito de se justificar e a coisa mais difícil de se fazer.

Quando eu falo em se responsabilizar eu falo apenas em assumir a responsabilidade pelo ocorrido, independentemente da sua mente estar te apontando algum culpado externo.

Você precisa lembrar que a sua mente subconsciente aponta algum fator externo para fazer você se sentir menos culpado pelo fracasso.

Mas se responsabilizar não tem nada a ver com culpa.

Você pode ser responsável por algo sem necessariamente ter culpa pelo ocorrido.

Fatores externos e internos

Existem situações onde fazemos tudo que acreditamos precisar ser feito para que algo aconteça e não alcançamos o resultado pretendido.

Isso acontece porque nós não controlamos o resultado, pois para que algo aconteça existem diversos fatores.

Alguns desses fatores são internos, ou seja, estão sob o nosso controle e capacidade de atuação.

Porém outros são externos, são alheios à nossa vontade, sob os quais temos pouco ou nenhum controle.

Ao nos justificar, procuramos apontar esses fatores como CULPADOS pela nossa falha.

Isso só serve para aplacar o nosso ego, mas programa a nossa mente para futuras derrotas.

Ao nos responsabilizar, passamos a mensagem para o mundo e para nós mesmos, que podemos alcançar os resultados, apesar dos fatores externos.

Eu tive uma melhora impressionante de resultados quando parei de me justificar e comecei a assumir a responsabilidade.

O que eu fazia era, sempre que questionado a respeito de uma falha, eu simplesmente dizia, a responsabilidade é minha, fui eu quem não fui capaz de gerar o resultado, por não ter percebido algum fator externo.

Mas na próxima tentativa eu terei aprendido com o meu erro e farei melhor.

Ganhos da responsabilização

Ao me responsabilizar eu passava algumas mensagens importantes para as pessoas e para a minha mente subconsciente.

A primeira é que apesar de ter fracassado, eu era capaz de superar até mesmo os fatores externos, para obter sucesso na próxima tentativa.

A segunda era justamente a ideia de que os fracassos não eram propriamente fracassos, mas sim aulas, nas quais eu descobria porque as coisas davam errado, para poder encontrar formas de fazer certo da próxima vez.

A terceira e mais importante ao meu ver, era a ideia de que qualquer coisas que seja relevante, não é construída de uma vez.

Qualquer conquista deve ser uma construção, uma série de pequenos erros e acertos, que nos levam até o objetivo pretendido.

Isso me ensinou a ser persistente nos meus objetivos e mais resiliente com os contra-tempos da vida.

Esses foram os ganhos que eu tive com a responsabilização e eu espero que você também os alcance, caso ainda não se responsabilize pelos seus fracassos.

Espero que este artigo te ajude a obter mais realizações na sua vida e se isso acontecer, deixe um comentário aqui abaixo dizendo como ele te ajudou, ok?

A gente se vê em breve…

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por Grandes Conquistas